BLOG DA BARÃO | Saúde e Prevenção

No último dia 06, os profissionais da Barão que trabalham com a manipulação de alimentos receberam capacitação realizada pela Vigilância Sanitária de Blumenau.

O foco principal foram os professores do Período Integral. A ação foi realizada buscando oferecer um serviço com cada vez mais qualidade. Na ocasião foram abordados temas relacionados à prática de higiene, preparação e armazenamento dos alimentos.


"Quando se fala em vacinas, todo mundo pensa na vacinação das crianças, por meio da qual se busca obter imunidade contra agentes de doenças que o organismo não estaria preparado para combater.

No entanto, não é só na infância que as vacinas se fazem necessárias. Jovens, adultos e especialmente pessoas mais velhas precisam estar em dia com o programa de vacinação. O tétano, por exemplo, pode acometer ndivíduos em qualquer faixa etária e a vacina é uma forma de prevenir a enfermidade e deve ser repetida a cada dez anos, tempo que dura seu efeito protetor.

E não é só. Há vacinas que devem ser tomadas na adolescência, como a da hepatite B e da rubéola, se não foram administradas na infância. Outras, na idade adulta ou por pessoas queregiões do Brasil ou do exterior. Nem mesmo a turma da terceira idade está livre das vacinas. Programas de vacinação como os da gripe e da pneumonia, especialmente dirigidos para essa fase da vida, devem ser atendidos prontamente.

VACINA CONTRA O TÉTANO

Drauzio – Muita gente pensa que, vacinando a criança, ela estará protegida enquanto viver. Isso não é verdade. Há uma série de vacinas que precisam ser tomadas ou repetidas durante a vida toda.

João Silva de Mendonça – Esse conceito precisa ser difundido intensamente. Vacina não é uma ação exclusiva da pediatria. Adolescentes, adultos jovens e mesmo os idosos precisam receber vacinas. Algumas são exclusivas de determinadas faixas etárias. Outras dão sequência à vacinação iniciada na infância e exigem reforços por toda a vida. Um exemplo é a vacina contra o tétano. Mesmo que a criança tenha sido vacinada quando pequena, deve repetir a aplicação a cada dez anos. Nesse sentido, há um descuido muito grande na população adulta em geral, e no idoso em particular, que normalmente nunca tomou essa vacina."

Para ler a entrevista completa, acesse: http://drauziovarella.com.br/envelhecimento/vacinacao-de-adultos/

Acesso: 28 fev. 


"O pediatra Mauro Fisberg garante: agradar o paladar da garotada e evitar estresse à mesa não é um bicho de sete cabeças.

Os dados preocupam: 80% das crianças brasileiras consomem mais açúcar do que o recomendado. Para piorar, 89% dos pequenos extrapolam a quantidade de gordura estabelecida pelos órgãos de saúde e 82% não alcançam o valor mínimo de ingestão de fibras. Os dados, que fazem parte da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aumentam a preocupação de pais e familiares sobre a melhor maneira de oferecer aos seus filhos alimentos saudáveis. O caminho, sem dúvida, é árduo: bolachas recheadas e salgadinhos parecem sempre chamar mais a atenção infantil do que uma cenoura ou uma maçã.

Para socorrer pais e mães aflitos, o pediatra Mauro Fisberg, professor da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, lança o livro Guia Descomplicado da Alimentação Infantil (Editora Abril), com as revistas SAÚDE e CLAUDIA. A obra também conta com 40 receitas da nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência Assessoria em Nutrologia, em São Paulo, que tornam as refeições da garotada mais saudáveis e divertidas - inclusive, você confere uma receita inédita na página 64. Nesta entrevista, Fisberg faz algumas sugestões sobre como transformar a hora de comer em momentos de alegria, sem grandes complicações."

Para ler o artigo completo, acesse: http://saude.abril.com.br/edicoes/0357/familia/nutricao-infantil-desvendada-725014.shtml