Na última quarta-feira (27), em comemoração a Páscoa, as crianças da Unidade Velha tiveram um dia especial com muitas atividades e surpresas. Elas puderam degustar um delicioso lanche coletivo, com direito a buffet de sorvete, muitas brincadeiras e música. Como surpresa, receberam a visita de uma coelhinha que alegrou a todos.

Nos dias 5 e 6 de abril, o Complexo Esportivo da Escola Barão sediará jogos do Campeonato Estadual de Futsal, categoria sub 13. Confira os horários: 

Data: 5 de abril - sexta-feira

19h00 – SPACA X APAMA
19h30 – BARÃO X GUARANI (Brusque)

Data: 06 de abril - sábado

09h00 – APAMA X GUARANI
09h30 – BARÃO X SPACA
15h00 – SPACA X GUARANI
15h30 – BARÃO X APAMA


Época marcada por muitas mudanças. Momento de romper com regras, que parecem não servir mais, para firmar seus próprios conceitos. Construção de uma identidade que busca por pares, por semelhanças e esse encontro deixa de ser com as figuras materna e paterna para estabelecer raízes no meio social. Período em que os pais sentem, escapar por entre os dedos, todos os ensinamentos passados na infância e ao longo desse processo de crescimento. O vínculo de confiança parece se romper e os pais, que tanto direcionaram tempo e amor a esses filhos, passam a se sentir sozinhos.

O importante é compreender que todo esse processo de transformação é necessário, para construir e definir a identidade, enquanto ser pertencente a este mundo. Na realidade, quando o adolescente confronta as regras e limitações impostas, seu movimento vai de encontro a respostas, de tantas falas que lhe foram ditas ao longo do crescimento, e ele precisa descobrir se são verdadeiras ou não. O delicado, nessa busca pela informação e vivências, é a forma como conduzem esse processo e no que acreditam ser o ideal para se constituírem como pré-adultos. Não existe fórmula, o caminho é dar limites sempre, com amor, saber ouvir e entender como o adolescente processa tantas informações e de que modo aplica em seu dia a dia. No fundo, eles precisam de referenciais de respeito, de amor, de princípios e valores, de limites, não querem mais ser tratados como crianças, e realmente não são. O que desejam é compreensão, espaço para que seu discurso seja ouvido mas lembrando que pais não são amigos dos filhos, não podem nivelar essa relação de igual para igual.

Leia o artigo completo clicando aqui.